sexta-feira, maio 02, 2008

Humano?

Pensando apenas em seu próprio coração e em seus próprios sentimentos, muitos não notam que machucam aqueles os quais ama ou querem amar.
O desejo de ter alguém, mas o orgulho de não se entregar, de não deixar claro o que se passa no coração, são atitudes extremamente humanas, porém o resultado dessas não.
Qual a graça que há em ser apaixonado por alguém, perceber que esse alguém gosta de você, não se entregar e depois de algum tempo ver esse alguém com outro, não suportar esse fato, fazer um escândalo tremendo, deixar seu amor triste por não poder te ter e por não querer ter outro alguém para não magoar seus sentimentos? Egoísmo puro!
Vontade de se sentir amado e querido por mais de um alguém? Não se sabe.
Prazer em ver alguém sofrer por você? Pode ser.
Mas isso é triste demais para quem quer viver. Dolorido demais para quem quer fazer o que gosta com quem gosta. A morte para quem não compreende tanto sofrimento e tanta repressão de si mesmo.

Um comentário:

Bruno disse...

pois é, paulinha...e o engraçado (?) é q quando escrevi aquilo no Quinhão, me inspirei um pouco na vida do Frusciante, na relação dele com as drogas...
principalmente na música e letra de "Song to sing when I lonely" e tb na "Omission". Na primeira ele chega a dizer (tradução livre minha)"eu serei você" e, na segunda, "me omito para mim mesmo como um favor a deus"...
Enfim, mas a sua leitura tem muito a ver, não acha? O Frusciante fala muito de Deus e drogas, não como possamos imaginar aqui, mas como forças que regem nossas vidas, assim como alguém o faz quando o amamos...
Vc falando d egoísmo...faz pensar, né? O problema é q imaginamos as coisas, quando, na verdade, nem sabemos o q se passa na realidade.
Como diz, novamente o Frusciante hehe, "a ship out in the distance is here if I draw it"....
ufa.